continua depois da publicidade

A alta volatilidade do mercado de criptomoeda sempre tornam previsões de alta ou de baixa uma tarefa muito difícil. O Bitcoin (BTC) está se aproximando do fim de um período de consolidação, onde os traders mais experientes estão apostando que será o prenúncio de uma nova onda de alta.

O analista Lark Davis – o @TheCryptoLark do Twitter – tem 360 mil seguidores no microblog, além de publicar semanalmente uma newsletter com suas previsões e divulgar vídeos no seu canal do Youtube, que conta com 383 mil inscritos. Em um tuíte dia primeira de junho, ele se tornou a mais recente voz no movimento de alta, afirmando que esta quarta-feira (2)  foi o “Dia D” para o preço do Bitcoin no futuro próximo.

Para Davis, essa fatia de estreitamento no gráfico tem um ponto final lógico em que a volatilidade se torna praticamente zero. Historicamente, isso resulta em um grande movimento ascendente ou descendente.

Esse padrão de negociação lateral após um grande movimento de preço que culmina em um suporte de estreitamento e rompimento (chamado de “compressão”) é um fenômeno gráfico clássico para Bitcoin. O processo foi visto em grande parte de 2020, antes que o mercado altista começasse a levar o preço do BTC além de seus máximos históricos de 2017.

 

Uma olhada no gráfico indica um momento decisivo para o Bitcoin para os próximos dias, em que a trajetória do mercado no curto prazo deve ser decidida. “Espere volatilidade no final da semana”, aposta o analista.

Quem também se manifestou pelo Twitter nesse sentido foi, o popular trader holandês Crypto Ed, chamando atenção para os níveis de preços BTC mais baixos. Ele escreveu: “Creio fortemente que aquele salto virá nos próximos dias”.

Crypto Ed acrescentou que uma falha na tendência poderia ter o efeito oposto, um aceno para aqueles que já alertam sobre uma possível nova queda de baixa, para US $ 20.000.

Entre outras análises recentes, o Rekt Capital, apontou em vídeo no Youtube uma característica essencial do gráfico de longo prazo: o aumento de juro após a queda de US $ 30.000. A média móvel exponencial de 50 semanas do Bitcoin (WEMA) está de volta oferecendo suporte, apesar dos níveis gerais mais baixos e, historicamente, esta tem sido um indicativo importante.

“Em um mercado de alta sustentado, você pode ter um período de queda muito profundo, mas enquanto este período de queda se mantiver acima deste indicador de momentum de alta, o WEMA 50, podemos ter esse momentum de alta preservado e a alta dos preços pode na verdade, continuar depois”, explicou ele no vídeo postado no início da semana. Dessa forma, US $ 30.000 podem simplesmente ter sido um “desconto realmente pesado” para o Bitcoin e não um divisor de águas pessimista . 

Conforme relatado pelo site CryptoPotato, podemos estar diante de uma “encruzilhada mortal”, com os preços surpreendendo nos próximos dias. Afinal, alguns analistas previram uma queda do Bitcoin para o nível de US $ 18.000, e isso não parece muito provável, considerando o sentimento recente do mercado.

O conhecido índice de medo e ganância (fear and greed) do Bitcoin ainda está enterrado no vermelho, registrando 24 (de 100) como indicador de “medo extremo” em 3 de junho.

As coisas podem não ser tão ruins, no entanto, já que as propriedades fundamentais de longo prazo do ativo permanecem intactas e os fundos institucionais permanecem apostando nele para o longo prazo.  O analista e criador do modelo stock-to-flow, ‘PlanB’, deu uma olhada nas correções anteriores, observando que todas foram em forma de “V”. Isso indica a possibilidade de uma nova “alta brusca” após a queda em maio.

Para o Plan B, isso pode ser um indicativo de compra institucional, o que deve impulsionar os próximos acontecimentos. Seu tuíte diz: “Vender grandes quantidades durante as horas de liquidez no final de cada mês … seguido pela compra contínua de pequenas quantidades durante as horas de liquidez no início de cada mês. Quatro recuperações em “V”. Compra Institucional?”.

Os grandes compradores institucionais, chamados na gíria cripto de “baleias”, segundo relatório publicado por Philip Gradwell, economista-chefe da Chainalysis, em 26 de maio, aproveitaram o preço baixo, foram às compras e adquiriram mais 77 mil BTC no mesmo período, o que dá cerca de US$ 3 bilhões na cotação atual do BTC.

Essa análise levou em consideração as criptomoedas vendidas por um valor menor do que o pago na sua aquisição. A maior parte do prejuízo, segundo o estudo, partiu de investidores que compraram bitcoin há menos de 13 semanas; ou seja, aqueles novatos do mercado que entraram em pânico quando os preços começaram a cair.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!