continua depois da publicidade

Nesta segunda-feira (6), o principal regulador de valores mobiliários da China informou que o país abrirá ainda mais seus mercados de capitais para investidores estrangeiros, acrescentando que buscará uma cooperação trans. fronteira pragmática para regular as empresas chinesas listadas no exterior.

Os investidores globais ficaram assustados nos últimos meses por uma enxurrada de regulamentações chinesas visando setores que vão desde tecnologia a aulas particulares. Os planos dos EUA de expulsar empresas chinesas não conformes das bolsas americanas alimentou preocupação.

“A abertura e a cooperação são a tendência inevitável no desenvolvimento integrado dos mercados de capitais globais”, disse o presidente da Comissão Reguladora de Valores da China (CSRC), Yi Huiman, em uma conferência organizada pela Federação Mundial de Bolsas de Valores.

A China está estudando outras medidas, incluindo a expansão do escopo do esquema de conexão de ações que liga China e Hong Kong e a melhoria do programa de conexão de ações de Xangai-Londres.

Enquanto isso, o CSRC conduzirá uma cooperação “pragmática” em áreas como supervisão de empresas chinesas listadas no exterior, auditoria internacional e aplicação da lei.

Yi disse que, dados os mercados globais entrelaçados, os governos deveriam abandonar a mentalidade de um “jogo de soma zero”, já que empresas e investidores compartilham tanto o boom quanto a ruína.

Os centros financeiros globais devem facilitar o financiamento internacional, “em vez de se tornarem as plataformas e ferramentas que os governos usam para sancionar outros países”, disse Yi, sem mencionar os Estados Unidos.

O discurso de Yi veio um dia depois que o vice-presidente do CSRC, Fang Xinghai, fez promessas semelhantes de desregulamentar ainda mais os mercados da China.

A China vai expandir os canais para o capital estrangeiro investir em títulos e mercados de futuros chineses, e vai facilitar ainda mais a emissão de “títulos Panda” denominados em yuans por instituições estrangeiras, disse Fang em uma conferência separada no domingo.

A China também vai melhorar as regras domésticas de listagem para entidades estrangeiras, bem como os regulamentos sobre listagens estrangeiras de empresas chinesas, disse Fang em um discurso também postado no site do CSRC.

Fang também prometeu salvaguardar o status de Hong Kong como um centro financeiro global, dizendo que Pequim apoia empresas domésticas listadas em Hong Kong. (Fonte: Reuters)

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!