continua depois da publicidade

Nesta terça-feira (13), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou a aprovação do primeiro Exchange Traded Fund (ETF) da Bolsa Brasileira que acompanha o desempenho da criptomoeda Ether, gerada na plataforma Ethereum. Um ETF ou ‘fundo de índice’, é um fundo de investimento negociado na Bolsa de Valores como se fosse uma ação, sempre atrelado a um índice de referência, também chamado de subjacente

Esse novo ticker do fundo passivo, batizado de QETH11, irá acompanhar o preço do Ether seguindo o índice CME CF Ether Reference Rate, um dos mais amplos e seguros do mercado, usado pela maior bolsa de derivativos do mundo, a Chicago Mercantile Exchange Group.  O produto da QR Asset Management é o primeiro do tipo na América Latina, havendo apenas um similar no Canadá.

A expectativa é que o QETH11 repita o mesmo sucesso do QBTC11, outro ETF da QR Asset Management lançado no mês passado, mas que acompanha o Bitcoin. Ele já é considerado um sucesso e acumula R$ 128 milhões de patrimônio sob gestão em quatro semanas de existência.

Agora são três ETFs de criptoativos disponíveis Brasil, considerando o HASH11, um fundo de índice listado na B3 que replica o Nasdaq Crypto Index (NCI), índice que busca refletir globalmente o movimento do mercado de criptoativos.

Com isso, o Brasil sai na frente, pois em países como Estados Unidos, por exemplo, a SEC, equivalente à CVM por lá, embora tenha recebido diversos pedidos, ainda não aprovou nenhum produto do tipo.

Semelhantemente aos demais ETFs, os investidores poderão adquirir cotas do produto diretamente, sem   precisar fazer cadastro em corretora de criptoativos e também mantém a custódia das suas criptomoedas. Esse tipo de aplicação tende a familiarizar ainda mais os investidores mais tradicionais com as possibilidade da criptografia.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!