continua depois da publicidade

Hedge, você já ouviu falar nesse conceito? Esse não é apenas um nome bonito escolhido para o nosso site e sim, um termo muito usado no mundo dos investimentos.

No mercado financeiro existem muitos conceitos como este, derivados geralmente da língua inglesa que por vezes dificultam o entendimento dos investidores.

Hedge é mais uma dessas palavras de origem inglesa que significa proteção/cobertura/cerca ou limite. Assim, ele nada mais é que um instrumento que busca proteger operações financeiras contra as oscilações de preço do mercado. Uma ferramenta de proteção contra grandes oscilações nos valores.

Como surgiu o Termo?

O termo apesar de parecer moderno já faz parte do mercado financeiro há muito tempo. Entenda a história.

No século XIX, agro produtores dos EUA levavam seus grãos até Chicago, onde compradores adquiriam sacas de seus produtos e distribuíam por todo o país.

Teve uma época em que a produção acabou sendo maior do que a demanda e os compradores começaram a forçar a baixa dos preços. Isso causou sérios prejuízos aos fazendeiros, levando inclusive muitos deles a falência.

A impossibilidade de o produtor estimar a qual preço conseguiria vender seus grãos era um problema.

Assim, nessa época os agro produtores começaram a negociar antecipadamente com os compradores o preço para a aquisição de sua próxima safra, firmando um compromisso entre as duas partes. Esses compromissos facilitaram o planejamento dos fazendeiros e ajudaram a equilibrar a oferta e demanda no mercado.

E assim se originou o conceito de Hedge, que são operações realizadas antecipadamente a fim de evitar prejuízos. Posteriormente, essas operações foram aperfeiçoadas e deram origem aos modernos derivativos, hoje comuns no mercado financeiro.

Como funciona o Hedge?

O hedge é uma estratégia voltada, especificamente, para títulos de renda variável, principalmente para proteger operações expostas a uma alta taxa de volatilidade.

Hoje ele ainda é muito usado no setor de Commodities, pois, reduz o risco de grandes variações de preço. Porém, não é a única modalidade de investimento que utiliza o conceito.

Hedge funciona através de contratos.

Em um contrato de hedge, o valor da mercadoria, ação, título ou taxa cambial é fixo. Dessa maneira, ambas as partes na negociação concordam com um preço, que deve ser cumprido no prazo estipulado. Mesmo que haja queda ou valorização do ativo em questão, o valor de referência para o negócio não será alterado.

Portanto, o hedge não serve necessariamente para obter lucros. Seu objetivo é a fixação do preço, buscando proteger o valor do ativo de qualquer oscilação – para mais ou para menos.

O hedge da carteira de investimentos pode ser feito de diversas maneiras como contratos futuros, opções, swaps, mas principalmente a partir de uma boa alocação de ativos.

Tipos de Hedges

Diferente do século XIX que exclusivamente o Hedge era do setor agro produtor, hoje, diversos outros setores utilizam dessa ferramenta.

Existem quatro tipos de Hedge: cambial, natural, em commodities e em ações.

Hedge em commodities

Basicamente, vendedores e compradores de produtos considerados commodities pactuam contratos futuros, acertando o preço pelo qual vai negociá-los, o que evita oscilações bruscas no preço.

Isso é necessário porque, ao contrário de outros tipos de produtos, as commodities estão muito vulneráveis às consequências do excesso ou escassez de oferta no mercado.

Com essa operação a estabilidade é protegida, evitando que a escassez de um produto essencial faça com que os preços disparem.

Hedge natural

O Hedge natural está associado às ações de empresas exportadoras, que têm ativos em dólar ou operam com outra moeda.

Esses papéis se valorizam quando o real cai, porque a receita da exportação aumenta. Portanto, eles equilibram as perdas com ações de empresas que operam apenas com a moeda nacional.

Hedge cambial

Hedge cambial é um conjunto de instrumentos usados para proteger investimentos e negócios dos riscos da variação do câmbio.

A estratégia pode ser adotada por empresas importadoras e exportadoras, investidores ou mesmo turistas que planejam viajar ao exterior.

Hedge de ações

O hedge de ações é a forma de evitar que a volatilidade dos papéis na Bolsa de Valores afete os seus investimentos de forma muito negativa.

Você pode realizar essa estratégia comprando opções de ações ou investindo em índices que são beneficiados com a movimentação do mercado

Por que devo usar essa ferramenta?

Que os investimentos de renda variável são voláteis não é novidade para ninguém e ter uma garantia em seus ativos é sempre muito bem vinda.

O hedge é uma ótima ferramenta para suavizar riscos e ajudar a controlar os efeitos da volatilidade do mercado sobre seus investimentos.

Os ativos de hedge são recomendados para os investidores que querem se proteger de oscilações do mercado, principalmente em momentos de aversão ao risco.

Mas muito cuidado, antes de qualquer operação é necessário analisar todo o cenário e saber qual o seu objetivo com determinado investimento. Entenda que operações de risco podem gerar maiores ganhos, mas as perdas também podem ser drásticas.

Uma estratégia de Hedge reduz os riscos, mas junto também reduz o potencial retorno do seu investimento.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!