continua depois da publicidade

De tempos em tempos surgem pessoas afirmando ter criado o bitcoin e serem o verdadeiro Sotashi Nakamoto, pseudônimo usado pela pessoa (ou grupo) responsável pela primeira criptomoeda em 2009.

Um desses falsos Satoshis é o empresário alemão Jorg Molt, 48 anos, que afirma ter inventado o Bitcoin e fundou a “Escola Satoshi” para ensinar pessoas a investir. Porém esta semana ele foi preso no aeroporto de Frankfurt quando estava prestes a fugir para o México.

De acordo com o relato do jornal alemão Bild, Molt foi detido e seu apartamento em Karlsruhe revistado para coleta de provas. A polícia também abriu uma investigação contra uma mulher de 54 anos, amiga do empresário alemão. Molt é acusado de ter fraudado pelo menos 50 pessoas, arrecadando cerca de 1,8 milhão de euros (R$ 11 milhões) com o projeto “Bitcoin Pension”.

O empresário tentava  atrair investidores em suas rede sociais, que possuem um número relativamente grande de seguidores. Em linhas gerais, o plano de Molt era usar 60% de todos os investimentos para comprar hardware de mineração bitcoin e gerar retornos fixos por meio de uma instalação com sede na Suécia.  Os outros 40% dos fundos ficavam em uma conta segura em seu nome.

O ‘Faketoshi’ alegou que o dinheiro poderia ser retirado da conta a qualquer momento. A “Bitcoi Pension” provou ser um tipo de pirâmide e fechou as portas em 2020, após muitos investidores fizeram denúncias de fraude. A investigação revelou que o autoproclamado Satoshi nunca pensou em investir o bitcoin que recebeu na mineração. Estranhamente, ele era famoso por alegar ter 250.000 BTC, o que faria dele uma pessoa com nada menos que 8 bilhões de dólares na conta.

O primeiro bloco do bitcoin, apelidado de Gênesis, sabidamente pertence a Satoshi Nakamoto. Para provar ser o Satoshi, basta que a pessoa faça uma transação ou uma assinatura com a chave privada do bloco gênesis.

Após mais de dez anos “desaparecido”, fica cada vez mais difícil acreditar que o verdadeiro Satoshi se revelará ao mundo, se é que ainda está vivo. Alguns falsários aproveitam-se dessa situação para lucrar em cima do nome de Satoshi. Além de Molt, reivindicam a criação do bitcoin: Craig Steven Wright (Australia), Bilal Khalid, também conhecido como James Caan (Paquistão) e Phil Wilson (Nova Zelândia).

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!