continua depois da publicidade

Mark Zuckerberg comanda três grandes redes sociais e já demonstrou interesse em criptografia e blockchains. Enquanto o Facebook prepara o lançamento da stablecoin Diem, agora surgem notícias que o Instagram pode estar trabalhando na implementação de recursos NFT na sua rede social.

NFT é a abreviação do termo em inglês para token não fungível, que basicamente é comercialização da versão  digital de uma obra, podendo ser música, vídeo, desenho ou até recriação de “momentos especiais”. O CriptoPrime já falou sobre isso nesta matéria.

A informação foi vazada nesta terça-feira (6), pelo por Alessandro Paluzzi, desenvolvedor de aplicativos e famoso pelas informações em primeira mão. Ele disse que analisou os códigos das novas versões do aplicativo de Twitter e do Instagram.

Conforme detalhou, as duas plataformas estão buscando formas de implementar novos serviços relacionados como NFT. Na verdade, o Twitter por exemplo, trabalha no Chipper Cash e no Wealthsimple que são, basicamente, pagamentos digitais.

Ainda segundo Paluzzi o “Instagram continua trabalhando com colecionáveis”. Essa nova versão do aplicativo traria uma opção indicando que a postagem possui um NFT que pode ser negociado.

O Instagram ainda não anunciou publicamente o lançamento de uma oferta de NFTs em sua plataforma, mas a empresa já falou que poderá oferecer recursos de pagamento na rede social, similar ao que já é usado no Whatsapp. O CEO do Instragram, Adam Mosseri, falou ao TechCrunch sobre novas ferramentas que ajudariam investidores a negociar conteúdo da rede social, mas não falou sobre datas.

Na verdade, há boatos sobre isso circulando tem algum tempo. Em maio, a revista Forbes tratou do tema, que foi abordado durante o evento Creator Week, promovido pelo Instagram entre 8 e 10 de junho deste ano. , debateu-se como a plataforma poderia ser usada para “promover” artistas e “ajudá-los’ a ganhar dinheiro.

Durante a Creator week, Mosseri disse que o Instagram estudava “formas para que os usuários possam pagar por produtos de outros usuários”. O CEO afirmou ainda: “Eu amo estas opções porque elas dão aos criadores uma relação direta com seus fãs, o que eu penso que é, provavelmente, uma forma mais sustentável e mais previsível a longo prazo”.

Além disso, o artista norte-americano Sean Williams usou sua conta no Twitter para falar que havia sido contatado pela rede social. Ele também comanda a WEIRDWILDWORLD, uma marca de roupas casuais.

Williams já disponibilizou sua obra “Haünted by a Taste of Freedom”, como NFT no site SuperRare e conseguiu vendê-la por 10 ETH, o equivalente a mais de 20 mil dólares hoje. Depois disso, conta que foi contatado por email por um membro da equipe do Instagram que lhe convidou para um “evento privado para criadores de NFT”.

Conforma o artista, ele receberia mil dólares para poder contar sobre sua experiência no mercado de NFTs, mas teria de assinar um contrato de sigilo sobre seu envolvimento com esse “projeto” do Instagram.  Ele não aceitou e contou tudo no que pode ter sido um grande vazamento. O tempo dirá, mas parece promissor investir nesse mercado que atingiu US $ 2,5 bilhões em vendas na primeira metade deste 2021, um crescimento de cerca de 2000% em comparação ao ano passado.

Ao que parece, a integração em algum nível de criptografia e redes sociais parece ser inevitável. Jack Dorsey, criador do Twitter já fundou a Square e declarou que é uma questão de tempo até o microblog integrar opções que permitam operações com bitcoin.

Ele vendeu o primeiro tuíte com NFT e no final de junho a conta oficial do Twitter anunciou que a rede do passarinho azul estava lançando 140 NFTs oficiais no marketplace Rarible. Porém, os tokens não fungíveis não vão a leilão, como o de costume. Os ativos digitais serão sorteados para quem responder os tweets sobre o evento, recebendo uma DM da própria plataforma caso seja um ganhador.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!