continua depois da publicidade

Em 8 de julho, um armazém com 5 mil máquinas, sendo pelo menos 3.800 consoles de PS4, foi descoberto pelo Serviço de Segurança da Ucrânia. As autoridades invadiram o local e prenderam os donos, acusados de estar roubando energia elétrica.

Inicialmente, foi divulgado que os aparelhos de vídeo game eram usados para a mineração de criptomoedas.  Isso gerou um grande debate, pois seria a primeira fazenda de mineração a conseguir, de fato, a usar os consoles para extração de cripto.

Agora, após uma investigação do jornal ucraniano Delo mostrou que, na realidade, os PS4 rodavam para administrar contas do FIFA Ultimate Team. As informações são da Eurogamer

As primeiras imagens divulgadas pelo  Serviço de Segurança da Ucrânia davam a impressão que todos aqueles vídeo games enfileirados em numerosas prateleiras, davam a entender que se tratava de uma fazenda de criptomoedas.

Contudo, o jornal obteve junto às autoridades informações que os PS4 ficavam rodando um programa que os colocava em modo automático e acumulavam, assim, moedas in-game para vender as contas posteriormente.

Assim, desfez-se a ideia que um PS4 consiga, de fato, minerar criptomoedas. Sabidamente, são equipamentos com um alto custo e com baixíssima taxa de hash. Ou seja, a lucratividade é quase nula. Neste caso, o lucro só era obtido porque não se pagava pela eletricidade consumida, motivo que acabou chamando atenção das autoridades e fechando toda a operação.

O Serviço de Segurança ucraniano também encontrou no armazém mais de 500 placas de vídeo, 50 processadores, notebooks e smartphones. Por isso, não está descartada a possibilidade de ali ocorresse  mineração, mas em pequena escala.

Mercado Paralelo

No FIFA Ultimate Team é possível pode gastar dinheiro real em lootboxes, esperando ganhar cartas de alto valor, mas as chances de obter os melhores jogadores são muito pequenas. Algumas pessoas precisam jogar por meses para acumular as FUT coins (moeda in-game) e conseguir comprar, por exemplo, o card do Lionel Messi, que custa 1,5 milhão de FUT. Ou seja, os ucranianos descobriram um mercado paralelo, ainda que não seja tão lucrativo quanto a mineração de criptomoedas.

A EA Sports, dona do FIFA, disse que combate a venda de FUT coins por sites terceiros, mas é bem fácil  comprar moedas e contas através em plataformas dedicada a isso.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!