continua depois da publicidade

O sistema de blockchain teve um aumento impressionante em popularidade desde o bitcoin, a primeira criptomoeda, lançada em 2008. Essa rede computadorizada tem uma série de vantagens, incluindo descentralização e segurança. A demanda por uma moeda sem controle do governo catapultou o Bitcoin e outras criptomoedas para a popularidade mundial.

Mas toda blockchain tem suas limitações, mantendo-se um sistema isolado que é bom para a segurança e integridade, mas também limita os dados de entrada que pode aceitar.

Portanto, é necessária uma espécie de ponte que possa ajudar esse sistema a “ver” o que está acontecendo no mundo exterior. Mas para que funcione bem, a entrada não pode vir de uma única fonte. Se isso acontecesse,   haveria dependência de uma fonte centralizada de dados, o que vai contra a própria natureza da blockchain.

Esse é exatamente o problema que a Chainlink pode ajudar a resolver. Como uma rede criada para conectar de algum modo as diferentes blockchains e o mundo real ele poderia, por exemplo, oferecer solução a um problema recorrente como enviar dados sobre o preço do bitcoin para um aplicativo no blockchain de forma segura.

O que é Chainlink?

Chainlink é uma rede Oracle descentralizada, preparada para desempenhar um papel importante na implementação de tecnologias de blockchain. “para o mundo real”. O objetivo dessa rede é fornecer informações sobre uma variedade de fontes externas de dados.

Embora a blockchain seja ótima no que faz – fornecendo um livro-razão descentralizado e seguro para transações digitais – não é tão boa para receber informações sobre coisas que acontecem fora do blockchain. Existem muitas forças “fora da cadeia” que influenciam os mercados, incluindo moedas fiduciárias, cartões de crédito e até mesmo o clima e resultados esportivos. Como uma rede descentralizada, a Chainlink pode fornecer informações para o que são conhecidos como contratos inteligentes.

Esses contratos inteligentes ajudam o sistema a responder a uma ampla variedade de entradas (se X acontecer, faça Y). Como a primeira criptomoeda, o Bitcoin e seu blockchain podem processar apenas uma pequena faixa dessa entrada. Mas blockchains mais recentes, como Ethereum, têm uma gama mais ampla de usos, incluindo suporte para contratos inteligentes programáveis.

A Chainlink foi lançada na blockchain Ethereum em 2019, mas é feito para funcionar com outros blockchains também.

O que é LINK e quanto vale?

LINK é o token nativo do Chainlink. Seu objetivo primordial é ajudar a financiar o crescimento do projeto, sendo uma criptomoedas semelhante ao Bitcoin (BTC) e ao Ethereum (ETH), que funcionam em suas respectivas blockchains. Assim como o BTC e o ETH oferece moedas como um incentivo para os usuários minerarem, o LINK faz o mesmo.

O token LINK foi lançado em 2017 com um preço abaixo de 20 centavos de dólar e permaneceu abaixo de US $ 1 até 2019. Em 2020, o preço começou a subir vertiginosamente, atingindo sua máxima de US$ 52 em 8 de maio de 2021.

Apesar da ascensão meteórica do LINK, no entanto, desde então caiu como a maioria das demais criptomoedas e seu preço em 17 de julho de 2021 é US$ 16.

Você deve investir no LINK?

Como você deve ter percebido acima, o valor do LINK permanece volátil, apesar de seus enormes ganhos desde o início de 2020. Portanto, pode ser melhor investir no LINK apenas como uma forma de oferecer suporte à tecnologia desenvolvida por ele. Seu alto grau de volatilidade pode ser demais para a maioria dos investidores.

No entanto, Chainlink parece ser uma tecnologia importante à medida que as criptomoedas continuam a evoluir. Ter uma estrutura como a do Chainlink será a chave para a estabilidade a longo prazo e a viabilidade da criptomoeda em geral. Portanto, o LINK pode ser um bom investimento se você acredita que o Chainlink se tornará o padrão da indústria como uma rede Oracle descentralizada mais amplamente utilizada.

Outro aspecto a ser considerado é que a Chainlink pode agregar valor a outras aplicações, que vão de APIs, sistemas na nuvem, IoT (Internet das Coisas), sistemas de pagamento e muito mais. Ela faz isso usando os chamados “oráculos”, que são nós (computadores) que fornecem informações do mundo real para o blockchain.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!