continua depois da publicidade

O Ibovespa subiu ou caiu e atingiu tantos pontos. Isso é o que a maioria dos brasileiros costuma ouvir ao assistir um jornal de cunho nacional. Por mais que escutamos e lemos isso a todo o momento em portal de notícias é bem provável que quem não estude o mercado financeiro não faça a menor ideia do que isso significa.

Afinal, o que é esse tal de Ibovespa? Ele nada mais é do que um índice que serve para analisar a rentabilidade da bolsa de valores brasileira. É usado para que os analistas do mercado tenham uma ideia se a bolsa caiu ou subiu.

É o Indicador mais importante do mercado financeiro, ele mede o humor do mercado.

Como foi criado

Em 1973 o professor economista Mário Henrique Simonsen propôs a criação do primeiro índice da bolsa de valores. Nessa época a bolsa ainda era do Rio de Janeiro. Ele propôs pegar a média das ações mais negociadas nos últimos 12 meses e criar um único índice.

Essa foi à origem da criação de índice, que depois foi adotada pela bolsa brasileira de São Paulo e é utilizada até hoje.

A metodologia atual do Ibovespa foi elaborada em conjunto com vários participantes e segmentos do mercado visando mantê-lo como o índice que mais representa com exatidão o desempenho do mercado brasileiro. A completa implantação da metodologia atual se deu a partir da revisão da carteira do índice ocorrida em maio de 2014 (fonte B3).

Como funciona

Hoje o Ibovespa é composto por uma média de 60 empresas, sendo aquelas mais valorizadas no mercado.

A cada quatro meses essas ações são revisadas. Quanto maior é a empresa mais ela participa do índice Bovespa. Podemos citar como exemplo a Petrobras que é gigante.

Quando falamos que o Ibovespa subiu, isso significa que a média das sessenta e poucas empresas valorizaram e não uma ação em específico. Por exemplo, se a Vale (VALE3) está listada no índice e o índice sobe, não necessariamente quer dizer que as ações da Vale em específico subiram, mas sim que a soma da média de todas as ações listadas deram um saldo positivo.

O Ibovespa não aparece em reais e sim em pontos. Cada 1 ponto equivale 1 real. Então se o Ibovespa atingiu 100 mil pontos, isso corresponde aos 100 mil reais somando todas as ações.

Critérios para fazer parte do Ibovespa

Como já dito, é uma média de 60 empresas que fazem parte do Índice. Para entrar nele é necessário alguns critérios, sendo eles:

  • Estar entre as maiores em volume de negociação e pertencer a empresas de grande porte com alto potencial de crescimento;
  • Não pode ser uma empresa em recuperação judicial;
  • Não ser uma Penny Stocks, que são ações que valem menos do que um real. Quando valem menos que isso é com certeza sinal de um problema que a empresa não vai bem.

Desvantagens do Ibovespa

A bolsa de valores B3 é a maior da América Latina, dentro dela existem uma grande variedade de empresas dos mais variados setores. O papel fundamental do índice Bovespa é fazer um balanço de como está indo a bolsa, porém sua base é apenas em empresas maiores.

O principal problema é que ele pode deixar boas empresas fora da listagem. Empresas não tão grandes, mas com bom potencial de crescimento.

É por esse motivo que outros índices foram criados. São índices alternativos, onde cada empresa pode fazer seu próprio índice com sua própria metodologia. Alguns exemplos são o ISE, IBRX, IFIX e também os americanos como S&P e NASDAQ.

Os analistas precisam testar diversas metodologias para entender como estão os ânimos do mercado.

 

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!