continua depois da publicidade

Sabe aquela semana que tudo dá errado? O carro estraga, o chuveiro queima, um cano estoura, o cachorro fica doente, enfim… O mundo parece que está contra você.

Se você já passou por isso sabe a importância de estar preparado para possíveis imprevistos da vida. O problema é que esse tipo de situação nunca avisam quando irão chegar, elas simplesmente acontecem. E tudo isso tem uma solução até que bem fácil, basta ter uma única coisa disponível, que se chama: DINHEIRO.

Se você tem dinheiro disponível no momento que uma situação como esta acontece, dá pra ficar mais tranquilo.

É só pagar e arrumar o que estragou ou pagar um bom veterinário, trocar o chuveiro por um novo. Mas, você estaria preparado financeiramente para isso?

Se a resposta é sim, parabéns, você já está evoluído nos conceitos de educação financeira. Mas se ao contrario, como a maioria dos brasileiros a resposta é não, não tem problema. Nunca é tarde para aprender e começar o quanto antes a sua RESERVA DE EMERGÊNCIA.

A reserva de emergência é a acumulação de recursos para momentos inesperados. Ela deve estar alocada em um ativo de alta liquidez e baixa volatilidade, para que não haja surpresas quando você, eventualmente, precisar resgatá-la.

É indicado que ela seja investida em renda fixa, por ser mais seguro e com possibilidades de liquidez diária. Não deixe na poupança. Além de não render o acesso até ela é fácil demais.

Qual valor você deve ter na sua reserva de emergência

O valor da reserva de emergência deve ser a partir da soma do seu custo de vida atual multiplicado por 6 meses à um ano.

Por exemplo: Se somando todos os seus gastos atuais, com moradia, alimentação, transporte, lazer, saúde e gastos básicos de sobrevivência o valor mensal seja de R$ 1500,00. Neste caso você deve multiplicar esse valor por 6, que daria um valor de R$ 9 mil. Esse deveria ser o valor guardado para a sua reserva de emergência.

Durante a pandemia muitos brasileiros sofreram por não estarem preparados para uma crise. Muitas pessoas perderam o emprego e não conseguiram se recolocar no mercado. Foi por esses motivos que os especialistas em educação financeira passaram a indicar a reserva de emergência pela soma de 12 meses. Para que em situações como esta, a pessoa consiga se manter pelo menos por um ano.

Quando usar a reserva de emergência

A reserva de emergência só deve ser usada em situações realmente necessárias. Caso ao contrário ela deve se manter intocável. E não adianta tentar enganar a você mesmo, pois o maior prejudicado será você.

Não adianta negar, uma hora uma emergência vai chegar e você precisa estar preparado. Se ainda não tinha parado para pensar sobre essas possibilidades, repense. Não é estar sendo negativo, mas sim prevenido.

Comece o quanto antes a fazer sua reserva financeira. Uma pequena onda de azar pode virar um tsunami na sua vida se não estiver preparado para o momento.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!