continua depois da publicidade

Em economia, símbolos ou “tokens”, são os objetos numismáticos, além de moedas e notas. O termo também pode ser usado para se referir a fichas usadas em cassinos, bem como vale-presente e vouchers. Outra possibilidade é em jogos de tabuleiro, onde eles substituem a função de moeda ou pontos.

Na informática, token de acesso é uma chave ou senha de autorização, que dá direitos de acesso. Quando se fala em criptografia, o termo é usado como sinônimo de “moeda digital”, mas muitos deles não foram criados para executar as funções de uma moeda.

Pode-se dizer que a principal função de um token é dar algum direito àquele que o possui. Já as moedas servem para compra e vende de produtos e serviços ou ainda para troca por outras moedas. Portanto, a diferença entre uma criptomoeda “moeda” e uma criptomoeda “token” reside, em suas funções.

Talvez você já tenha utilizado alguma página de internet que exige login e viu a mensagem “token expirado”.

Nesses casos, o token é o identificado daquela sessão. Existem dispositivos que geram códigos únicos para proteger contas bancárias on-line que recebem o nome de token.

É preciso frisar que um token pode executar diferentes funções, além de ser usado como moeda. Em resumo ele é um ativo digital, com valor atribuído. Além de fornecer acesso a um sistema ou plataforma também pode servir como uma recompensa para seus participantes;

Na criptografia, os tokens são criados em blockchains já existentes. Dentro de um blockchain os tokens funcionam como uma espécie de “contrato”, que passam a custódia de algum ativo para aquele que possui o token. Outra questão importante é que os tokens são gerados em plataformas que tem a sua própria moeda. Então, quando se fala sobre a blockchain da Cardano, seu token é a criptomoeda Cardano (ADA), assim como na Chainlink, sua criptomoeda é chamada de token LINK.

Pela criação e facilitação de contratos inteligentes, a plataforma de token de blockchain mais comum atualmente é da Ethereum. O padrão mais popular é padrão de segurança ERC-20 (usado por exemplo por Omisego, Golem, Augur, SunContract, Holo). Novos padrões são desenvolvidos dinamicamente, correspondendo à necessidade de tokenização de valores mobiliários, imóveis ou marcação de itens exclusivos (por exemplo, ERC-721).

Os tokens podem ter múltiplas funções, tornando possível uma distinção entre eles. É bastante aceita a diferenciação da FINMA, órgão responsável pela regulação financeira da Suíça, que os dividiu em categorias: tokens de segurança, ativos financeiros, utilidade ou pagamento. Tais definições podem deixar mais claro as variações que existem para o significado de token no mercado financeiro.

Um token utilitário oferece acesso à um produto ou serviço. Como o nome sugere, adquiri-lo é adquirir uma utilidade. Tome como exemplo uma licença de software ou acesso à um produto qualquer.

Também pode ser chamado de “tokens de aplicativos”, referindo-se aos dApps (aplicativos descentralizados) de algumas plataformas de blockchains. Eles são usados para oferecer acesso a algum produto ou serviço.

Tokens de segurança são como contratos de investimento. Por isso, assim como quem compra uma ação, os investidores desses tokens o compram esperando obter lucros no futuro. Um token de segurança inclui instrumentos de investimento como notas, ações, títulos e contratos de investimento.

Comumente, esses tokens são emitidos por uma oferta inicial de moeda (ICO). Isso é comum quando novos projetos precisam levantar investimentos, nesses casos as pessoas compram essa oferta inicial dos tokens na expectativa de lucrar futuramente, no momento em que projeto estiver funcionando.

IV) Tokens de pagamento

Esse são usados unicamente como meio de pagamento por algum bem ou serviço.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!