O empresário mexicano Ricardo Salinas Pliego, com fortuna avaliada em mais de 15 bilhões de dólares, é um defensor das criptomoedas. Dono do Banco Azteca, fundado em outubro de 2002, ele afirmou em publicação no Twitter neste domingo (27) que sua instituição bancária planeja aceitar bitcoin e estimulou a compra do ativo.

Usando um avatar com “olhos de laser”, sinalizando sua crença que cada unidade da criptomoeda líder chegará a valer 100 mil dólares, ele escreveu: “o dólar rouba silenciosamente o seu poder aquisitivo desde 1913. Compre bitcoin!”.

Fundador e presidente do conglomerado mexicano Grupo Salinas, Ricardo é atualmente a terceira pessoa mais rica do México. Com mais de 800 mil seguidores no Twitter, comenta seguidamente sobre o mercado de criptografia, afirmando que  10% de seus ativos estão investidos na criptomoeda.

Em entrevista recente, explicou que começou a investir nesses ativos digitais em 2013, quando cada unidade era vendida a US$ 200. No início, ele via o bitcoin apenas como um novo “veículo de pagamento”, e  acabou vendendo todas as suas participações no BTC em janeiro de 2018. Somente mais tarde percebeu que aquela era uma boa reserva de valor.

Ao falar sobre a venda, contou: “Fiz uma grande festa, [fiquei] muito feliz com o meu melhor investimento de sempre, mas sabe, sempre voltamos para o local do crime, certo? Então, quando caiu para US$ 10.000, pensei ‘bem, agora é mais razoável’ e comprei alguns naquela época. e então caiu mais para US$ 6.000, comprei um pouco mais, e é onde estou, onde nossa média agora é de cerca de US$ 9.000, e ainda não terminei. Eu não estou vendendo. Acho que vou ficar sentado neles por mais cinco ou dez anos”.

Durante interação pelo Twitter com Michael Saylor, CEO da Microstrategy, também no domingo, Salinas afirmou “bitcoin é o novo ouro, mas muito mais portátil. O transporte de bitcoin é muito mais fácil do que ter suas barras de ouro nos bolsos”. Em outra publicação disse “Claro, eu recomendo o uso de Bitcoin, e eu e meu banco estamos trabalhando para ser o primeiro banco no México a aceitar Bitcoin”.

Embora não tenha dado detalhes de como o Banco Azteca, que atua no México, Panamá, Guatemala, Honduras, Peru e El Salvador, aceitará depósitos em bitcoin. Para isso, deve haver uma mudança na regulamentação do México, onde a instituição financeira tem mais de 16 milhões de contas de poupança e mais de 18 milhões de contas de crédito.