continua depois da publicidade

Embora não tão famoso quanto Steve Jobs, o engenheiro eletrônico Steve Wozniak é um dos cofundadores da Apple, juntamente com Ronald Wayne. Visionário, ele foi pioneiro na iniciativa de colocar computadores disponíveis para o consumidor comum na de´cada de 1970. Ele não trabalha mais na big tech desde 2018, passado a se dedicar à empresa Efforce.

Durante sua participação por videoconferência no Talent Land Jalisco 2021 – importante evento virtual -sobre tecnologia e inovação, realizado no México esta semana, ele debateu o desenvolvimento de projetos de tecnologia, inovação e empreendedorismo.

Ricardo Salinas Pliego, o terceiro homem mais rico do México, que também estava no evento, declarou que “o Bitcoin é o novo ouro, mas muito mais portátil. Transportar bitcoin é muito mais fácil do que ter barras de ouro no bolso”. Ao que Wozniak complementou, afirmando que o “ouro é limitado e você tem que procurá-lo. Bitcoin é o milagre matemático mais incrível”.

Deixando claro que não investe em bitcoin, mas não têm dúvidas que ela “veio para ficar”. Ele já havia chamado bitcoin de “ouro digital” em outras ocasiões, mas o endosso de alguém como “Woz” como é chamado, tem um peso muito grande.

Ele pode não investir em bitcoin, mas a Efforce é uma empresa de investimentos, voltada ao desenvolvimento de projetos para aumento da eficiência energética, com foco em soluções na blockchain. O novo empreendimento de Wozniak lançou uma criptomoeda nativa, chamada WOZX, que vale hoje US$ 0,68.

Por isso, ele tem conhecimento de como funciona o ecossistema cripto e a comparação feita por ele deve-se ao fato que, tanto o ouro quanto o bitcoin têm uma oferta limitada, o que lhe atribui valor no mercado. O metal preciso também é valorizado pela dificuldade de extração, enquanto a mineração de bitcoin demanda esforço e está limitada a 21 milhões de moedas, sendo que a última será extraída em 2140.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!