continua depois da publicidade

O Bitcoin Cash (BCH) é uma criptomoeda criada em agosto de 2017, uma variação gerada a partir de um hard fork (bifurcação) do Bitcoin. Ele aumentou o tamanho dos blocos, permitindo que mais transações sejam processadas e melhorando a escalabilidade. A criptomoeda passou por outra bifurcação em novembro de 2018 e se dividiu em Bitcoin Cash ABC e Bitcoin Cash SV (Satoshi Vision). O ABC ficou conhecido como apenas como Bitcoin Cash, que significa literalmente “dinheiro de Bitcoin”.

Principais vantagens

O Bitcoin Cash foi criado para acomodar um tamanho maior de bloco em comparação ao Bitcoin original, permitindo mais transações em um único bloco. Apesar de suas diferenças filosóficas, Bitcoin Cash e Bitcoin compartilham várias semelhanças técnicas. Por exemplo, usam o mesmo mecanismo de consenso e limitaram seu fornecimento a 21 milhões de tokens.

Compreendendo o Bitcoin Cash

Pode-se dizer que a diferença entre Bitcoin e Bitcoin Cash é filosófica. Conforme proposto pelo seu inventor, Satoshi Nakamoto, o Bitcoin foi criado para ser uma criptomoeda ponto a ponto usada para transações diárias.

Com o passar dos anos, à medida que ganhou força e seu preço disparou, o Bitcoin tornou-se mais um meio de investimento que uma moeda. Seu blockchain testemunhou problemas de escalabilidade, pois não conseguia lidar com o aumento do número de transações. O tempo de confirmação e as taxas de transação no blockchain do Bitcoin dispararam. Isso ocorreu principalmente pela limitação de tamanho de bloco de 1 MB para Bitcoin. As transações acabavam criando uma espécie de ‘fila’, aguardando confirmação, porque os blocos não conseguiram lidar com o aumento no tamanho das transações.

O Bitcoin Cash se propõe a remediar essa situação, aumentando o tamanho dos blocos para algo entre 8 MB e 32 MB, permitindo o processamento de mais transações por bloco. O número médio de transações por bloco no Bitcoin no momento em que o Bitcoin Cash foi proposto estava entre 1.000 e 1.500.

Durante um teste de estresse, em setembro de 2018, o número de transações no blockchain do Bitcoin Cash subiu para 25.000 por bloco. Os principais proponentes do BCH, como Roger Ver, costumam invocar a visão original de Nakamoto de um serviço de pagamento como motivo para aumentar o tamanho do bloco.

De acordo com eles, a mudança no tamanho do bloco do bitcoin permitirá o uso do sistema da criptomoeda como um meio para transações diárias e o ajudará a competir com organizações multinacionais de cartão de crédito, como a Visa, que cobra altas taxas para processar transações internacionais.

O Bitcoin Cash também difere do Bitcoin em outro aspecto, pois não incorpora a Segregated Witness (SegWit), outra solução proposta para acomodar mais transações por bloco. O SegWit retém apenas informações ou metadados relacionados a uma transação em um bloco.

Normalmente, todos os detalhes relativos a uma transação são armazenados em um bloco. Diferenças ideológicas e de tamanho de bloco à parte, há várias semelhanças entre Bitcoin e Bitcoin Cash. Ambos usam o mecanismo de consenso de Prova de Trabalho (PoW) para extrair novas moedas. Também compartilham os serviços da Bitmain, a maior mineradora de criptomoedas do mundo. O fornecimento de Bitcoin Cash é limitado a 21 milhões, o mesmo volume do Bitcoin.

O Bitcoin Cash começou usando o mesmo algoritmo de dificuldade de mineração – conhecido tecnicamente como Ajuste de Dificuldade de Emergência (EDA) – que faz “ajustes” a cada 2016 blocos ou cerca de duas semanas. Os mineradores aproveitaram essa semelhança, alternando sua atividade de mineração entre Bitcoin e Bitcoin Cash. Contudo, embora fosse lucrativo para os mineradores, a prática era prejudicial ao aumento da oferta de Bitcoin Cash nos mercados. Consequentemente, o Bitcoin Cash revisou seu algoritmo EDA para tornar mais fácil para os mineiros gerar a criptomoeda.

História do Bitcoin Cash

Em 2010, o tamanho médio de um bloco no blockchain do Bitcoin era inferior a 100 KB e a taxa média por transação era alguns centavos. Isso tornou seu blockchain vulnerável a ataques, consistindo inteiramente de transações baratas, que poderiam prejudicar seu sistema. Para evitar tal situação, o tamanho de um bloco foi limitado a 1 MB.

Um bloco é gerado a cada 10 minutos, permitindo espaço e tempo entre transações sucessivas. A limitação de tamanho e tempo necessários para gerar um bloco adicionou outra camada de segurança ao blockchain do Bitcoin. Mas essas salvaguardas acabaram sendo um obstáculo quando o bitcoin ganhou força popular devido a uma maior consciência de seu potencial e melhorias em sua plataforma.

Por isso, o tamanho médio de um bloco aumentou para 600K em janeiro de 2015. O número de transações usando Bitcoin também aumentou, causando um acúmulo de transações não confirmadas. O tempo médio para confirmação de uma transação consequentemente ficou maior. O resultado é que a taxa para a confirmação da transação também aumentou, enfraquecendo o argumento para o bitcoin como um concorrente dos caros sistemas de processamento de cartão de crédito. (As taxas para transações no blockchain do bitcoin são especificadas pelos usuários. Os mineradores normalmente empurram as transações com taxas mais altas para a frente da fila para para maximizar seus lucros).

Duas soluções foram propostas pelos desenvolvedores para resolver isso: aumentar o tamanho médio do bloco ou excluir certas partes de uma transação para ajustar mais dados no blockchain. A equipe do Bitcoin Core, responsável por desenvolver e manter o algoritmo que alimenta o bitcoin, bloqueou a proposta de aumentar o tamanho do bloco. Ao mesmo tempo, uma nova moeda com um tamanho de bloco flexível foi criada. Batizada de Bitcoin Unlimited, acabou sendo hackeada e teve dificuldades para ganhar força, levantando dúvidas sobre sua viabilidade como moeda para transações diárias. A primeira proposta também atraiu reações contundentes da comunidade Bitcoin. O gigante da mineração Bitmain estava hesitante em apoiar a implementação do Segwit em blocos, pois isso afetaria as vendas de sua mineradora AsicBoost. A empresa vendia uma tecnologia de mineração patenteada que, comparada a uma máquina que oferecia um “atalho” para que os mineradores gerassem hashes para criptografar a operação usando menos energia.

No entanto, o Segwit faz com que seja mais caro extrair Bitcoin usando essa ‘máquina’ porque dificulta o reordenamento da transação. Em meio a uma guerra de argumentos pró e contra, além da disputa de posições por mineradores e outras partes interessadas na comunidade de criptomoedas, o Bitcoin Cash foi lançado em agosto de 2017.

Cada detentor de Bitcoin recebeu uma quantidade equivalente de Bitcoin Cash, multiplicando assim o número de moedas existentes. O Bitcoin Cash estreou nas bolsas de criptomoedas com um preço impressionante de US$ 900. Num primeiro momento, as principais bolsas de criptomoedas, como Coinbase e itBit, boicotaram o Bitcoin Cash e não o listaram para venda.

Contudo, recebeu apoio vital da Bitmain, a maior plataforma de mineração de criptomoeda do mundo. Isso garantiu o suprimento de moedas para negociação em bolsas de criptomoedas quando o Bitcoin Cash foi lançado. No auge da mania das criptomoedas, o preço do Bitcoin Cash disparou, chegando a US$ 4.091, em dezembro de 2017. Paradoxalmente, o próprio Bitcoin Cash sofreu uma bifurcação (hard fork) pouco mais de um ano depois, pelo mesmo motivo que se separou do Bitcoin. Em novembro de 2018, o cripto se dividiu em Bitcoin Cash ABC e Bitcoin Cash SV (Satoshi Vision). Desta vez, o desacordo foi devido às atualizações de protocolo propostas que incorporaram o uso de contratos inteligentes na blockchain do bitcoin e aumentaram o tamanho médio do bloco.

O ABC usa o cliente Bitcoin Cash original, mas incorporou várias alterações em seu blockchain, como a Canonical Transaction Ordering Route (CTOR) – que reorganiza as transações em um bloco para um pedido específico. Já Bitcoin Cash SV, comandado por Craig Wright – que afirma ser o Nakamoto original – rejeitou o uso de contratos inteligentes em uma plataforma destinada a transações de pagamento.

O drama anterior ao último hard fork foi semelhante ao da separação do Bitcoin Cash do Bitcoin em 2017. Mesmo assim, teve um final feliz, pois mais fundos fluíram para o ecossistema de criptomoedas devido à bifurcação e o número de moedas disponíveis para os investidores se multiplicou. Desde o lançamento, ambas as criptomoedas obtiveram avaliações respeitáveis ​​nas bolsas de criptografia.

Preocupações sobre o Bitcoin Cash

O Bitcoin Cash prometeu várias melhorias em relação ao seu antecessor, mas ainda não cumpriu essas promessas. O mais importante é em relação ao tamanho do bloco. O tamanho médio dos blocos extraídos no blockchain do Bitcoin Cash é muito menor do que aqueles no blockchain do Bitcoin.

O tamanho menor do bloco significa que sua tese principal de permitir mais transações através de blocos maiores ainda precisa ser testada tecnicamente. Desde seu lançamento, as taxas de transação do Bitcoin também caíram significativamente, tornando-o um concorrente viável do Bitcoin Cash para uso diário. Outras criptomoedas que possuem ambições semelhantes de se tornar um meio para transações cotidianas tentam minar os planos do Bitcoin Cash. Algumas já estabeleceram projetos e parcerias com organizações e governos, no país e no exterior. Por exemplo, o Litecoin firmou contrato com organizadores de eventos e associações profissionais, e outros, como o Dash, afirmam ter ganhado força em economias problemáticas como a Venezuela, embora tais afirmações sejam contestadas.

Embora sua separação do Bitcoin tenha sido bastante comentada, o Bitcoin Cash é praticamente desconhecido fora da comunidade de criptografia e ainda não fez grandes anúncios sobre sua adoção. Com base nos níveis de transação no blockchain, o Bitcoin ainda tem uma vantagem considerável sobre a concorrência. A segunda bifurcação na blockchain do Bitcoin Cash também destaca problemas com o gerenciamento de seu pool de desenvolvedores.

O fato de uma seção considerável do pool pensar que o Bitcoin  Cash estava diluindo sua visão original é preocupante, pois abre a porta para novos forks no futuro. Contratos inteligentes são um recurso essencial de todas as criptomoedas. No entanto, resta saber se o Bitcoin Cash mudará para se tornar uma plataforma que  incorpora contratos inteligentes para transações ou simplesmente para sistemas de pagamento. O Bitcoin Cash também não possui um protocolo de governança claramente definido. Enquanto outras criptomoedas, como Dash e VeChain, inovaram e estabeleceram protocolos de governança detalhados que atribuem direitos de voto, o desenvolvimento e o design do Bitcoin Cash parecem estar centralizados em suas equipes de desenvolvimento. Por isso, não está claro para os investidores sem participações substanciais da criptomoeda têm direito a voto ou uma palavra a dizer nos rumos futur os da criptomoeda.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!