J. Robert Oppenheimer (22 de abril de 1904 – 18 de fevereiro de 1967) foi um físico nuclear americano que dirigiu o Projeto Manhattan, o esforço secreto dos Estados Unidos para desenvolver a bomba atômica durante a Segunda Guerra Mundial. Ele é considerado um dos físicos mais influentes do século 20.

Oppenheimer nasceu em New York City, filho de uma família judia. Ele estudou física na Universidade de Harvard e na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Após se formar em 1929, ele fez pós-doutorado na Universidade de Göttingen, na Alemanha. Em 1936, ele retornou aos Estados Unidos e assumiu um cargo na Universidade de California, Berkeley.

Em 1942, Oppenheimer foi recrutado pelo governo dos Estados Unidos para liderar o Projeto Manhattan. O projeto foi um enorme empreendimento que envolveu milhares de pessoas e exigiu a construção de um grande número de instalações, incluindo o Laboratório Los Alamos, no Novo México. Oppenheimer foi responsável por coordenar o trabalho de todos os envolvidos no projeto e por garantir que a bomba atômica fosse desenvolvida a tempo de ser usada na Segunda Guerra Mundial.

A bomba atômica foi testada com sucesso em Alamogordo, Novo México, em 16 de julho de 1945. Dois dias depois, bombas atômicas foram lançadas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. As bombas mataram centenas de milhares de pessoas e levaram ao fim da Segunda Guerra Mundial.

Depois da guerra, Oppenheimer continuou a trabalhar na física nuclear. Ele se tornou um forte defensor do controle de armas nucleares e lutou contra a corrida armamentista. Ele também foi um crítico do uso da bomba atômica em Hiroshima e Nagasaki.

Oppenheimer morreu em 18 de fevereiro de 1967, aos 62 anos. Ele é considerado um dos físicos mais importantes do século 20 e sua contribuição para o desenvolvimento da bomba atômica teve um impacto profundo no mundo.

Liderança do Projeto Manhattan

Oppenheimer foi uma figura de liderança fundamental no Projeto Manhattan. Ele foi responsável por coordenar o trabalho de milhares de pessoas e por garantir que a bomba atômica fosse desenvolvida a tempo de ser usada na Segunda Guerra Mundial. Oppenheimer era um físico brilhante e um administrador talentoso. Ele também era um líder carismático que foi capaz de inspirar e motivar os membros de sua equipe.

Crítica ao uso da bomba atômica

Oppenheimer foi um crítico do uso da bomba atômica em Hiroshima e Nagasaki. Ele acreditava que o uso da bomba foi um erro moral e que os Estados Unidos deveriam ter tentado encontrar outra maneira de acabar com a guerra. Oppenheimer também acreditava que o uso da bomba atômica teria consequências terríveis para o mundo.

A crítica de Oppenheimer ao uso da bomba atômica foi controversa. Algumas pessoas acreditavam que ele estava sendo antipatriótico, enquanto outras acreditavam que ele estava simplesmente falando a verdade. A crítica de Oppenheimer, no entanto, ajudou a iniciar um debate sobre o uso de armas nucleares que continua até hoje.