Iniciou ontem (8) mais uma paralisação no Brasil. Em pelo menos 15 estados foram registrados bloqueios nas rodovias realizadas principalmente por caminhoneiros.

Os protestos dos caminhoneiros, aliados do governo, começaram com mais força um dia depois das manifestações do 7 de Setembro. A reivindicação dos manifestantes bolsonaristas é a destituição de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), em especial Alexandre de Moraes.

Com o risco de aumentar ainda mais a inflação com essas paralisações, o presidente Jair Bolsonaro enviou um áudio à categoria pedindo que os bloqueios fossem suspensos porque uma paralisação afetaria a economia.

“Fala para os caminhoneiros aí, são nossos aliados, mas esses bloqueios aí atrapalham a nossa economia, isso provoca desabastecimento, inflação. Prejudica todo mundo especialmente os mais pobres. Então dá um toque aí nos caras se for possível para liberar, tá ok, para a gente seguir a normalidade”, disse Bolsonaro em um áudio.

Porém houve dúvidas se o áudio realmente era de Bolsonaro e solicitaram um vídeo do mesmo. O presidente então resolveu marcar um encontro pessoalmente para negociar essa situação.

“Eu tenho uma hora na manhã… já tenho o tempo tomado com o pessoal dos Brics, uma hora, mas estou mais cedo também. Nesses dois intervalos vou conversar com os caminhoneiros para a gente tomar uma decisão”, disse o presidente a apoiadores na frente do Palácio da Alvorada nesta manhã.

A reunião seria por vídeo conferência.

Share.

Deixe seu comentário!