continua depois da publicidade

A República Centro-Africana anunciou ontem (27) que adotou o bitcoin como moeda oficial, tornando-se o primeiro país da África e apenas o segundo no mundo a fazê-lo.

Apesar das ricas reservas de ouro e diamantes, a República Centro-Africana é um dos países mais pobres e menos desenvolvidos do mundo e tem sido dominada pela violência rebelde há anos.

Um projeto de lei que rege o uso de criptomoedas foi aprovado por unanimidade pelo parlamento na semana passada, disse um comunicado assinado por Obed Namsio, chefe de gabinete do presidente Faustin-Archange Touadera.

“O presidente apoia este projeto porque melhorará as condições dos cidadãos da África Central”, disse Namsio à Reuters, sem dar mais detalhes.

No comunicado, ele chamou de “um passo decisivo para abrir novas oportunidades para o nosso país”.

A República Centro-Africana é uma das seis nações que usam o franco CFA da África Central, uma moeda regional governada pelo Banco dos Estados da África Central (BEAC).

Dois dos ex-primeiros-ministros do país assinaram na semana passada uma carta expressando preocupação com a adoção do bitcoin sem orientação do BEAC, chamando-o de “ofensa grave”.

“O BEAC soube ao mesmo tempo que o público da promulgação de uma nova lei sobre criptomoedas na República Centro-Africana”, disse um porta-voz do BEAC à Reuters, acrescentando que o banco ainda não teve uma resposta oficial.

El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a adotar o bitcoin como moeda legal no ano passado, mas o lançamento foi dificultado pelo ceticismo e adiou um título de bitcoin proposto em março em meio à turbulência do mercado global.

Os governos africanos adotaram uma abordagem variada para regular as criptomoedas e a tecnologia blockchain.

O banco central da Nigéria proibiu os bancos locais de trabalhar com criptomoedas no ano passado antes de lançar sua própria moeda digital, a eNaira.

Reguladores sul-africanos têm explorado a potencial regulação de criptomoedas e outras tecnologias blockchain, e o banco central da Tanzânia disse no ano passado que estava trabalhando em uma diretiva presidencial para se preparar para a adoção das criptomoedas. (Com informações de Reuters).

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!