Robert Kiyosaki é um investidor conceituado, mundialmente conhecido pelo seu best-seller sobre educação financeira, “Pai Rico, Pai Pobre”. Ele usou sua conta no Twitter para fazer um alerta após os anúncios de estímulos financeiros pelo governo de Joe Biden.

Sabidamente, Kiyosaki é um defensor do bitcoin, mas não parece muito otimista. Ele acredita que a criptomoeda líder cairá do patamar atual de US$ 35.000 para US$ 24.000, quando, então deverá aumentar sua aquisição do ativo digital. Também anunciou que vai apostar em ouro e a prata como maneira de se proteger contra uma crise vindoura que é debatida com frequência nos Estados Unidos.

Além da emissão descontrolada de seis trilhões de dólares como parte de um “pacote” do governo norte-americano, o mercado ainda sofre as consequências da pandemia causada pela covid-19.

Um dos grandes defensores dessa “quebra” (crash) da economia é Harry Shuler Dent Jr., conceituado redator de boletins financeiros. No ano passado ele  publicou um livro com sua previsões sobre a bolha econômica prestes a estourar nos Estados Unidos e que teria consequências em todo o mundo. O título é What to Do When the Bubble Pops: Personal and Business Strategies for the Coming Economic Winter (O que fazer quando a bolha estourar: estratégias pessoais e de negócios para o inverno vindouro da economia. Segundo o analista, as criptomoedas são a “ponta de lança” disso e as coisas devem piorar rapidamente no segundo semestre de 2021.

Crashes são o melhor momento para ficar rico

“Maior bolha da história mundial ficando cada vez maior. O maior crash da história mundial está chegando. Comprando mais ouro e prata. Esperando que o Bitcoin caia para US$ 24 mil. Os crashes são o melhor momento para ficar rico. Tomem cuidado.”

Ele falou sobre um crash, termo que se refere a uma queda generalizada no preço de todos os ativos. É justamente no período pós-crise que se pode adquirir ativos financeiros por preços mais baratos. A falência de muitos deixa uma minoria mais rica, que lucra com a diferença nos valores.

O primeiro grande crash da história moderna ocorrem em setembro e outubro de 1929, quando o valor das ações da Bolsa de Valores de Nova York caiu bruscamente provocando a sua “quebra”. Na época, a economia mundial estava integrada à época, causando um efeito global.

A “saída” apontada por Kiyosaki na busca por outro e prata parece a mais fácil, pelo estabilidade histórica dos metais, mas chama a atenção sua confiança que o mercado de criptomoedas poderá sofrer, mas ter condições de se recuperar, em especial porque o princípio das finanças descentralizadas é justamente não depender de bancos, os primeiros a sofrerem os impactos de um crash econômico.