A empresa de capital de risco 500 Startups anunciou o lançamento da iniciativa “500 Luchadores III”, um fundo latino-americano com a qual investirá US$ 17 milhões em 130 startups em estágio inicial na América Latina nos próximos dois anos e meio.

A empresa planeja focar este fundo em países de língua espanhola, uma vez que já possui outros fundos dedicados ao Brasil.

Até o momento, 500 Luchadores III já investiram recursos em 44 empresas e a expectativa é de que nos próximos dois anos e meio consiga completar o investimento nas 86 startups restantes.

Das 130 startups que este fundo de investimento pretende apoiar, 100 serão acompanhadas por meio do “Somos Lucha”, programa das 500 Startups em que o fundo trabalha de forma personalizada com os fundadores para prepará-los e obter sua próxima rodada de investimentos. O restante será sustentado com recursos e acompanhamento, mas não precisará passar pelo programa.

A 500 Startups está procurando startups em estágio inicial em qualquer setor que tenha alguma conexão com a América Latina, seja a empresa fundada por latino-americanos (mesmo que esteja operando nos Estados Unidos ou em outro país) ou queira abrir operações nos países de Ele fala espanhol, por exemplo.

Os fundos anteriores do Luchadores eram menores em valor e não incluíam nenhuma capacidade de investimento subsequente, mas com o Luchadores III a empresa estabeleceu uma abordagem em três etapas.

“Agora estamos adicionando uma estratégia de acompanhamento. Isso fala com o volume do ecossistema e que o modelo está funcionando ”, disse Zavala à Bloomberg Línea.

O primeiro cheque estará na faixa de US$ 50.000 – US$ 100.000, com possível continuação do mesmo fundo variando de US$ 250.000 – US$ 500.000 e, em seguida, possível investimento do fundo global que financiaria de US$ 3 – 5 milhões.

O fundo já investiu em 44 empresas até agora, e Zavala disse que há um foco maior em startups de saúde mental, que floresceram durante a pandemia, à medida que mais e mais pessoas experimentam ansiedade e depressão.

Uma dessas empresas é a YANA (que significa “você não está sozinho”) do México e já conta com cerca de 5 milhões de usuários. O aplicativo chatbot foi lançado em 2019 e chamou a atenção quando a Apple e o Google o nomearam como um dos principais aplicativos em 2020.

Outra é a Terapify, que oferece terapia online e também está sediada no México, e por fim há a Pura Mente, da Argentina, que oferece sessões de meditação e mindfulness por meio de um aplicativo.

500 Startups vieram para a América Latina em 2011 e, em 2013, já haviam estabelecido seu primeiro fundo Luchadores. Em 2016, eles lançaram seu segundo.

“A América Latina faz parte de nossa estratégia global há quase uma década, e este terceiro fundo é um sinal de nosso compromisso contínuo com a região em um momento em que está atraindo cada vez mais o interesse de investidores internacionais”, disse Christine Tsai, CEO e fundadora Parceiro de 500 Startups.

Share.

Deixe seu comentário!