continua depois da publicidade

O conhecido desenvolvedor de software John McAfee foi encontrado morto em sua cela em Barcelona, Espanha, nesta quarta-feira (23). Ele tinha 75 anos segundo nota do departamento de justiça da Catalunha, “Tudo indica que a morte pode ter sido suicídio”.

O tribunal espanhol aceitou a extradição de McAfee para os EUA, onde enfrentaria acusações de evasão fiscal. Ele estava preso preventivamente na Espanha desde outubro do ano passado.

A notícia da morte veio no mesmo dia que um tribunal espanhol autorizou sua extradição para os Estados Unidos. Embora tenha nascido na Inglaterra, McAfee cresceu na América. Além de ter se formado em matemática, trabalhou como programador da Nasa entre 1968 e 1970.

Conhecido mundialmente pelo sistema de proteção antivírus que levava o seu nome, McAfee foi desligado da empresa e acabou vendendo todas suas ações, em 1996.

Sua vida é repleta de polêmicas. Em 2012, a Justiça de Belize, onde ele morava na época, o indiciou como suspeito de envolvimento no assassinato de seu vizinho.

Acusado de evasão fiscal, ele admitiu que não pagou impostos nos EUA por mais de oito anos. Nos últimos anos vinha se dedicando ao comércio de criptomoedas e teria uma “fortuna em cripto” cujo paradeiro é desconhecido.

Segundo as autoridades norte-americanas, McAfee ganhou mais de US$ 10 milhões entre 2014 e 2018 com investimentos em criptomoedas, serviços de consultoria, conferências e venda de direitos para fazer um documentário sobre sua vida. Contudo, “ele não apresentou declarações fiscais em nenhum desses anos e não pagou nenhuma de suas obrigações fiscais”, alegam as autoridades.

Fraude no Twitter

Em março desta ano ele foi acusado formalmente de fraude pelo envolvimento em um esquema de criptomoedas nas redes sociais. O Departamento de Justiça americano acusa o milionário e seu conselheiro executivo e guarda-costas, de terem ganho quase US$ 2 milhões ao pedir a usuários no Twitter que investissem em altcoins desconhecidas enquanto eles vendiam seus próprios ativos quando os preços eram inflados por seus seguidores.

O esquema fraudulento teria se desenvolvido entre dezembro de 2017 e outubro de 2018. Ele é acusado de promover um sistema de divulgação de “moedas do dia” e ‘moedas da semana” no microblog e ter atingido cerca de 1 milhão de seguidores com tais publicações enganosas. Conhecida como “pump e dump”, esse sistema montado por ele enganou investidores que perderam em um total de US$ 13 milhões.

As principais altcoins promovidas nesse esquema eram a Reddcoin (RDD), Dogecoin (DOGE) e Electroneum (ETN). O FBI apresentou as Mensagens Diretas (DM) do Twitter de McAfee mostrando que ele discutiu, em detalhes, seus vários esquemas com seus colaboradores.

Embora as autoridades o acusem, o milionário excêntrico sempre negou ter uma “fortuna cripto” escondida. Com sua morte permanece o mistério se ela realmente existe ou se McAfee estava mais uma vez enganando o governo norte-americano.

Em uma de suas últimas publicações no Twitter, afirmou: “Os EUA acreditam que escondi criptomoedas. Eu gostaria de ter, mas os ativos se dissolveram pelas muitas mãos da Equipe McAfee (não precisa acreditar se não quiser) e meus bens restantes foram todos apreendidos. Meus amigos evaporaram por medo de associação. Nada tenho, mas não me arrependo de nada”

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!