Nesta segunda-feira (23) pela segunda vez a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) negou o pedido da varejista comandada pelo empresário Luciano Hang de realizar uma Oferta pública inicial (IPO) na B3.

Hang já havia solicitado a abertura de IPO em 2020, mas recuou após sua empresa ser avaliada em menos de R$ 100 bilhões. Esse ano voltou a investir na possibilidade de abrir capital, mas o planejamento foi adiado devido à negativa da comissão.

Os planos eram de vender uma fatia da cadeia de lojas e buscar recursos para abrir centros de distribuição e lojas, além de investir em tecnologia e reforçar o capital de giro.

A Havan não é a única empresa que não consegue entrar na bolsa. Esse ano quase 60 empresas já desistiram dos planos de listagem na B3, sendo que algumas recuaram por receio de aumento de juros nos Estados Unidos e queda na procura de ações no Brasil. Uma possível nova onda de covid-19 também têm ditado forte volatilidade das ações.