continua depois da publicidade

A Associação Russa de Criptoeconomia, Inteligência Artificial e Blockchain (RACIB) está trabalhando com autoridades e empresas para atrair a mineração de criptografia da China para o território russo.

A RACIB afirmou estar cooperando com autoridades da Federação Russa, governos de diferentes regiões e corporações estatais para promover e implementar seu projeto, incluindo empresas do setor de energia.

Eles está desenvolvendo um projeto específico de ecomineração, uma mineração de cripto sustentável. O objetivo é construir fazendas de mineração que utilizam eletricidade de usinas de energia renovável. Eles   destacam o potencial de energia eólica e, conjunto com fontes de energia hidrelétrica e nuclear. Os dois últimos representam 40% do fornecimento de energia da Rússia, acrescentou o comunicado.

Os russos estão atentos ao quadro na China, que testemunha um êxodo de mineradores por causa de pressões regulatórias do governo. Por isso, a RACIB está trabalhando com um consórcio das maiores mineradoras da China, que controlam mais de 25% da taxa global de hash.

O RACIB espera que a transferência dessas capacidades de computação para a Rússia lhe possibilite aumentar dramaticamente sua presença no mercado global. Atualmente, a mineração russa está em 3º lugar, com cerca de 7% do mercado mundial.

Criptografia da China

Embora a China planeje ser o país mais avançado em tecnologia de blockchain até 2025, quer ter direitos exclusivos sobre essa tecnologia, fazendo esforços para suprimir as criptomoedas em todo o país. Para alcançar esse objetivo, no mês passado as autoridades chinesas proibiram instituições bancárias e de pagamento de fornecer serviços para empresas relacionadas à criptografia.

Antes responsável por quase 70% da mineração global de bitcoin, a China forçou os grandes mineradores a fugirem para o exterior. Muitos foram para o Cazaquistão, mas o RACIB espera desviar levar alguns deles para a Rússia.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!