continua depois da publicidade

A notícia mais falada no dia de ontem (4) foi à interrupção por quase seis horas dos três principais aplicativos administrados pelo Facebook Inc. Cerca de 3,5 bilhões de usuários da empresa não conseguiram acessar suas mídias sociais e serviços de mensagens como WhatsApp, Instagram e Messenger.

Após conseguir resolver o problema, o Facebook Inc culpou uma “mudança de configuração defeituosa”.

A empresa em uma postagem do blog na noite de ontem (4) não especificou quem executou a mudança na configuração e se ela foi planejada.

Vários funcionários do Facebook que não quiseram ser identificados disseram que acreditavam que a interrupção foi causada por um erro interno no modo como o tráfego da Internet é roteado para seus sistemas.

As falhas nas ferramentas de comunicação interna e outros recursos que dependem dessa mesma rede para funcionar agravam o erro, disseram os funcionários.

Especialistas em segurança disseram que um erro inadvertido ou sabotagem por um insider são ambos plausíveis.

“Queremos deixar claro, neste momento, que acreditamos que a causa raiz dessa interrupção foi uma mudança de configuração defeituosa”, disse o Facebook no blog.

A interrupção do Facebook é a maior já rastreada pelo grupo de monitoramento da web Downdetector.

A paralisação foi o segundo golpe para o gigante da mídia social em poucos dias após um denunciante no domingo acusar a empresa de priorizar repetidamente o lucro em vez de reprimir o discurso de ódio e desinformação.

Enquanto o mundo se aglomerava em aplicativos concorrentes como Twitter e TikTok, as ações do Facebook caíram 4,9%, a maior queda diária desde novembro passado, em meio a uma venda mais ampla de ações de tecnologia na segunda-feira. As ações subiram cerca de meio por cento nas negociações após o expediente após a retomada do serviço.

“Para cada pequena e grande empresa, família e indivíduo que depende de nós, sinto muito”, tuitou o diretor de tecnologia do Facebook Mike Schroepfer, acrescentando que “pode levar algum tempo para chegar a 100%”.

“O Facebook basicamente trancou as chaves em seu carro”, tuitou Jonathan Zittrain, diretor do Berkman Klein Center for Internet & Society de Harvard.

O Twitter relatou na segunda-feira um uso maior do que o normal, o que levou a alguns problemas no acesso de pessoas a postagens e mensagens diretas.

Em um dos tweets mais populares do dia, a empresa de streaming de vídeo Netflix compartilhou um meme de seu novo programa de sucesso “Squid Game” com a legenda “Quando o Instagram e o Facebook estão fora do ar”, que mostrava uma pessoa chamada “Twitter” segurando um personagem à beira de cair rotulado como “todos”.

Dentro de um grupo do Facebook para compradores de anúncios, um membro gracejou após o retorno do serviço que “muitas pessoas pesquisaram hoje ‘como veicular anúncios do Google para clientes'”.

O Facebook, que é o maior vendedor mundial de anúncios online depois do Google, estava perdendo cerca de US$ 545.000 em receita de publicidade nos EUA por hora durante a paralisação, de acordo com estimativas da empresa de medição de anúncios Standard Media Index.

Os serviços do Facebook, incluindo aplicativos de consumo como Instagram, ferramentas de local de trabalho que vende para empresas e programas internos, parou de funcionar por volta do meio-dia no (horário de Brasília), retornando no início da noite, próximo as 18:00 horas.

Logo após o início da interrupção, o Facebook reconheceu que os usuários estavam tendo problemas para acessar seus aplicativos, mas não forneceu quaisquer especificações sobre a natureza do problema ou disse quantos usuários foram afetados. (Com informações de Reuters).

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!