continua depois da publicidade

Começar o ano cheio de dívidas é com toda a certeza a forma mais desgastante e que acabam com as esperanças de um ano melhor para qualquer pessoa. Nos últimos dois anos não foram nada fáceis para ninguém. Desde o inicio da pandemia em 2020 a economia transita entre melhoras e pioras constantes.

O pior de tudo é que a crise ainda não acabou, e os especialistas acreditam que o que já está ruim ainda pode piorar. Mas apesar tudo, não devemos nos desesperar, já que o desespero não vai trazer qualquer solução. Se está cheio de dívidas o melhor a fazer é tentar sair delas o mais rápido possível.

A dívida pode parecer esgotante, especialmente se for extensa. Muitos mutuários acham seus extratos de cartão de crédito intimidantes e não podem encarar os saldos de seus empréstimos. Se você está no limite do seu juízo e quer saber como sair das dívidas, você não está sozinho. Confira algumas maneiras práticas de mudar de endividado para livre de dívidas.

Reúna seus dados

Antes de fazer qualquer outra coisa, reúna o máximo de dados possível sobre suas finanças. Obtenha cópias de todos os extratos e comprovantes de pagamento.

Por mais que isso possa ser conferido facilmente através do aplicativo do banco, o ideal é ter os documentos impressos, pois desta forma facilita sua visualização.

Em seguida, desenterre o extrato mais recente de cada uma de suas contas como, por exemplo:

  • Empréstimos pessoais;
  • Financiamento de casa ou carro;
  • Cartões de crédito;
  • Cartões da loja;
  • Supermercado;
  • Água, Luz e demais contas da casa;

Faça um inventário financeiro

Use os documentos que você reuniu na primeira etapa para criar um inventário completo de suas dívidas. Isso pode parecer estressante, mas é uma parte essencial de qualquer plano de ação para eliminar dívidas. Toda vez que você listar uma dívida, inclua todas as informações possíveis, como nome da dívida, valor atual, valor da taxa de juros por atraso, etc.

Através das informações deste inventário que você vai conseguir avaliar quais as contas mais urgentes a serem pagas, observando o valor dos juros por atraso. Geralmente contas atreladas a bancos costumam ter uma taxa de juros maior que contas de lojas.

Entre em contato com as empresas e tente negociar as dívidas, mesmo que de forma parcelada. Crie metas para pagamentos que sejam viáveis. Se estiver com o nome no SPC e Serasa, tente limpar o seu nome negociando junto as credoras.

Aumente sua renda

Aumentar sua renda não é tão simples quanto trabalhar mais ou conseguir um emprego melhor remunerado. Se fosse, todos mudariam de emprego e ganhariam progressivamente mais dinheiro até não precisarem mais de cartões de crédito. Dito isto, pode haver maneiras de trazer renda extra – pelo menos temporariamente – até que você pague suas dívidas.

Encontre uma fonte de renda extra com aquilo que você mesmo pode fazer sem precisar gastar muito. Fazer bolos e doces é uma boa opção para vender no trabalho. Quem tem um carro próprio pode optar também por trabalhar como motorista de aplicativo nas horas vagas e finais de semana. A internet dispõe de inúmeras dicas e possibilidades de renda extra, basta ter força de vontade e colocar a mão na massa.

Corte gastos desnecessários

Gastar menos pode ajudá-lo a equilibrar uma renda menor – e não queremos dizer cortar o cafezinho. Revise todas as taxas de assinatura mensais R$ 5 aqui, R$ 8 ali podem fazer uma grande diferença no final da fatura. Também é importante determinar se você realmente precisa da assinatura.

Reduza as refeições do restaurante para uma vez por semana ou uma vez por mês. Troque mantimentos de marca mais caros por itens de marca de loja.

Cada pouco de dinheiro que você economiza pode ser usado para pagar sua dívida. Você sempre pode assinar novamente, comer fora mais tarde ou voltar para suas comidas favoritas quando terminar seu plano de pagamento.

Crie um novo orçamento

O orçamento pode ajudá-lo a pagar suas dívidas mais rapidamente e também pode torná-lo mais seguro financeiramente. Anote o que você traz para casa todos os meses e depois liste suas contas mensais recorrentes – aluguel, seguro, coleta de lixo, TV a cabo, creche, transporte público e assim por diante. Inclua o valor do plano de pagamento da dívida mensal e analise quanto resta.

Em seguida, crie um orçamento realista – e tente cumpri-lo. Isso pode ser difícil de fazer, mas se você conseguir controlar o que gasta, terá um pouco mais para economizar no final do mês.

 Crie uma Reserva de Emergência

Criar uma Reserva de emergência — por menor que seja — pode fazer você se sentir realizado. O dinheiro dessa reserva também pode ajudá-lo se você perder o emprego ou enfrentar dificuldades financeiras no futuro.

Muitos especialistas financeiros sugerem que as pessoas mantenham seis meses de despesas em um fundo de emergência. Se isso parece muito, você não está sozinho. Muitas pessoas – especialmente após o COVID-19 – atualmente acham difícil imaginar economizar nessa medida. Tente salvar alguma coisa, mesmo que não seja a quantidade recomendada. Com o tempo, seus esforços serão recompensados ​​e você construirá um pequeno pé-de-meia.

Continue seguindo em frente

Escapar da dívida é difícil, mas não é impossível. Se você for cuidadoso, comprometido e realista, e se continuar se esforçando, estará livre mais cedo do que pensa.

Faça suas metas e mantenha firme nelas. Fazendo isso com certeza no início do próximo ano você estará muito mais tranquilo, podendo aproveitar o verão em paz junto à família.

 

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!