O tempo de inatividade da produção na indústria automotiva global devido à escassez aguda de microchips e outros componentes eletrônicos estão aumentando, de acordo com estimativas de consultores de gestão.

A maior montadora dos Estados Unidos, General Motors, foi atingida de forma particularmente dura pelos gargalos no fornecimento de chips no último trimestre. As vendas da GM no mercado doméstico caíram quase um terço com relação ao ano anterior, para pouco menos de 447.000 veículos, conforme o grupo anunciou nesta sexta-feira (1).

A Toyota, por outro lado, conseguiu crescer e está bem à frente da GM, líder de mercado de longa data, após os primeiros nove meses do ano. Na gigante da indústria japonesa, as vendas nos Estados Unidos aumentaram 1,4%, para uns bons 566.000 veículos no terceiro trimestre. Depois de três trimestres, a Toyota agora tem pouco menos de 1,858 milhão de veículos e a GM tem 1,777 milhão.

Os fabricantes de automóveis em todo o mundo estão particularmente preocupados com a atual escassez de chips. Como resultado, vários fabricantes tiveram que suspender a produção nos últimos meses ou não conseguiram completar os veículos. A GM apontou especificamente para gargalos na produção de semicondutores na Malásia, mas a situação está melhorando.

Outros fabricantes japoneses não tiveram um desempenho tão bom quanto a Toyota no mercado americano. Na Honda, as vendas caíram cerca de onze por cento, para pouco menos de 346.000 veículos, e na Nissan, em dez por cento, para cerca de 199.000. (Fonte: Onvista)