continua depois da publicidade

Quase todo mundo já ouviu falar sobre passivos e ativos, mas o que esses conceitos realmente significam para o nosso orçamento pessoal ou investimentos?

Antes de começar a investir, você deve entender a diferença entre ativos e passivos nas finanças pessoais.

Este princípio pode ser usado para analisar a condição financeira das pessoas comuns. Afinal, tudo o que possuímos tem certo valor. Podemos adquirir ativos tangíveis ou intangíveis com recursos próprios ou com recursos emprestados (créditos). Entenda a diferença de cada um.

O que são ativos e passivos?

Um ativo é algo que lhe dá dinheiro porque gera renda e/ou fluxo de caixa. Para um indivíduo, um ativo pode ser qualquer coisa que possa lhe trazer renda. Educação que dá o direito de conseguir um emprego, ou conhecimentos e habilidades que ajudam a ganhar dinheiro. Os melhores ativos trazem renda passiva ao seu proprietário sem a necessidade de grandes esforços.

Os ativos podem valorizar no curto ou no longo prazo, o que significa que seu valor aumentará – um exemplo disso pode ser um hotel que você possui. No entanto, os ativos também podem perder valor.

Os ativos que geram renda incluem ações que pagam dividendos, royalties e patentes. Itens de alto valor que você possui e já pagou (ou seja, pelos quais você não deve mais dinheiro) também se enquadram parcialmente nessa definição – como sua casa ou carro.

Você precisa gastar seu tempo e dinheiro para obter uma educação ou conhecimento que trará renda. Para obter renda passiva, você precisa investir em ativos que possam gerar renda sem o envolvimento de seu proprietário.

Portanto, em termos de equilíbrio financeiro, o dinheiro (tempo) que gastamos comprando coisas ou adquirindo conhecimento deve ser classificado como passivo, ou seja, propriedade ou trabalho (diplomas, certificados, experiência, habilidades, habilidades) – para ativos.

Em contraste, um passivo “tira o dinheiro do seu bolso”.   Passivos são itens tangíveis e obrigações que lhe custam dinheiro. Eles não geram renda, eles causam despesas para você.

Ou seja, no balanço financeiro passivos mostram o valor pelo qual foi gasto na aquisição de ativos. Tudo o que possuímos, compramos por conta própria e emprestados (que somos obrigados a dar).

O passivo consiste em duas partes principais:

  •     Capital próprio
  •     Passivos (dívidas)

Exemplos de passivos são todos os tipos de empréstimos pessoais, como imóveis ou pagamentos de aluguel de um veículo.

Uma pessoa pode parecer rica, possuir uma casa grande e dirigir um carro caro, mas na realidade ser pobre é ter dívidas que superam o valor de sua propriedade.

O que o orçamento e o investimento têm a ver com ativos e passivos?

Digamos que você pediu dinheiro emprestado para comprar um carro. Este carro é agora um passivo para você até que você pague a dívida pelo carro.

Se você usa seu carro (que já foi pago e é seu) para gerar renda – por exemplo, trabalhando como Uber – você pode ganhar mais dinheiro do que precisa para manter o carro. Portanto, pode ser visto como um ativo.

Aumente seus ativos

O objetivo básico ao criar um plano financeiro pessoal é aumentar os ativos e reduzir ao mínimo os passivos. Isso inclui acompanhar de perto suas receitas e despesas.

Você precisa ter em mente questões como: como você obtém renda e ganhos e o que causa despesas? Como você pode gerar renda adicional? Que tipo de trabalho extra pode me ajudar nas dívidas?

Conseguir aumentar seus ativos é a melhor forma de você conseguir bons rendimentos futuros.

Share.
continua depois da publicidade