continua depois da publicidade

Como era previsto por analistas, o preço do bitcoin voltou a ficar para perto dos US$ 40.000 por unidade, mas o motivo da subida rápida de quase 15% nas últimas 24 horas não foi  que todos estavam esperando.

Apesar de todas as projeções e modelos que apontavam uma subida pelos próprios méritos dos ativos digitais, a recuperação deve-se, principalmente, aos rumores sobre a gigante do varejo online Amazon entrando no mercado das criptomoedas.

O BTC bateu 39.681 dólares na manhã desta segunda (26), ajudando outras criptomoedas como a ETH a subir mais de 9% e gerando um clima de otimismo no mercado, com a maioria dos tokens operando em alta.

Conforme amplamente noticiado, a Amazon publicou um anúncio no final da semana passada de uma vaga de emprego para um especialista em criptomoedas e blockchain. Uma fonte anônima disse à imprensa que a big tech estão prestes a aceitar pagamentos em bitcoins.

Além disso, o site especializado CoinDesk relatou que a Amazon estaria trabalhando  na criação do seu próprio token, que funcionaria dentro de um programa de recompensas por fidelidade aos usuários da plataforma.

Vijay Ayyar, analista da exchange Luno, disse à Bloomberg que a forte alta do bitcoin certamente está relacionada com a possibilidade da Amazon adotar criptomoedas. Ela destacou ainda a forte subida do “short selling” sobre o preço da bitcoin. De fato, de acordo com os dados da Bybt.com, mais de 700 milhões de dólares em “shorts” sobre o bitcoin foram liquidados nesta segunda-feira, o maior volume dos últimos três meses,

Elon Musk pode ter influenciado

Além das notícias da Amazon, a opinião de Elon Musk pode ter colaborado com a alta do preço do bitcoin. O bilionário participou de um debate com o CEO do Twitter, Jack Dorsey, na última terça-feira (21). Na ocasião, anunciou que sua empresa de carros elétricos Tesla “provavelmente” voltará a aceitar bitcoin como forma de pagamento no futuro.

Isso colaborou para dar início ao movimento de alta, da última semana, pois após o anúncio de Musk, a criptomoeda líder do mercado subiu 7,87% em um único dia. Ela saltou de US$ 29.789,90 na segunda (20) para US$ 32.135,10 na terça

O que mais chamou atenção foi a mudança de postura de Musk, que havia criticado a criptomoeda algumas semanas atrás, o que ajudou a derrubar seu preço. Ele condicionou a volta dos negócios com bitcoin após concluir a “due diligence” sobre a quantidade de energia renovável utilizada para minerar a bitcoin.

Com a expectativa de pagamentos na Tesla e na Amazon, o bitcoin conseguiu superar sua média de negociação dos últimos 50 dias.

Claro, o ativo continua bem abaixo da sua máxima de quase US$ 65 mil, atingida em abril deste ano, mas as últimas notícias trazem um alívio para os investidores após meses lidando com a pressão regulatória na China, que fechou mineradoras e o escrutínio governamental de países da Europa sobre exchanges. Tudo isso ajudou  a pressionar o preço da criptomoeda para baixo.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!