continua depois da publicidade

A instabilidade do mercado de criptomoedas tem assustado investidores no mundo todo. Após o preço do Bitcoin chegar a US$ 59.423 em 10 de maio, experimentou uma queda dramática de 36% nos nove dias seguintes. Pelo menos 12 mega investidores tiveram prejuízos bilionários neste processo.

A revisa de finanças Forbes calcula o “tombo” em US$ 15,5 bilhões, avaliando que seus patrimônios líquidos reunidos caíram de US$ 62,3 bilhões para US$ 46,8 bilhões, na cotação do dia 19. Vale lembrar que 12 meses atrás, cada Bitcoin era negociado por cerca de US$ 9.700. O preço ao meio-dia de hoje, 21, era de US$ 37.067 no exterior, ou R$ 197.660, no mesmo horário aqui no Brasil.

O maior perdedor foi Sam Bankman-Fried, 29 anos, fundador da firma de trading de criptoativos Alameda Research. Ex-trader em Wall Street, ele tinha uma fortuna de US$ 16,7 bilhões em 10 de maio, mas seu patrimônio caiu para US$ 11,5 bilhões dez dias depois. Principal investidor da FTX, uma exchange de derivativos de criptomoedas, lançada em 2019. Sua fortuna está baseada, majoritariamente, nos tokens da FTX, que recuaram 27% desde o último dia 10.

Já os gêmeos Winklevoss também perderam uma fortuna. Tyler e Cameron, que ficaram famosos por brigarem com Mark Zuckerberg pela criação do Facebook, ficaram US$ 900 milhões mais pobres nos últimos 10 dias, uma queda de 24%. Quando fizeram um acordo na disputa do Facebook, em 2012, usaram os US$ 65 milhões que ganharam para investir em bitcoins em 2012. Dois anos depois, lançaram a exchange de criptomoedas Gemini, empresa que processa cerca de US$ 200 milhões em negociações diariamente.

Michael Saylor, um bilionário que já foi cientista de foguetes e  fez fortuna com a internet, usou sua empresa de análises de software para negócios, a MicroStrategy, para investir em bitcoins. Ele negociou 70.784 unidades da moeda por US$ 1,1 bilhão. Com fortuna avaliada em US$ 3,3 bilhões no pico dos preços do bitcoin, seu patrimônio caiu para US$ 1,8 bilhão, uma perda de 45% nos últimos nove dias.

Talvez o mais conhecido desta lista, Vitalik Buterin, bilionário cocriador da blockchain Ethereum, viu o ether atingiu quase US$ 4.300 em 12 de maio. Com isso, seu patrimônio chegou a US$ 1,4 bilhão, mas em meio ao crash recente, sua fortuna líquida atual é de ‘apenas’ US$ 850 milhões.

Contudo, esses criptobilionários estão mais ricos do que eram alguns meses atrás, segundo a Forbes. Entre março e maio, eles tiveram um aumento médio de 25% em sua fortuna, quando a revista calculou os patrimônios líquidos para sua lista dos bilionários de 2021.

Share.
continua depois da publicidade