continua depois da publicidade

O mercado de criptomoedas opera em alta nos últimos dias, mostrando que o otimismo foi recuperado. Após meses em baixa, o bitcoin teve uma alta considerável a voltou para a casa dos US$ 50 mil, preço que não alcançava desde meado de maio. Os ganhos dos investidores na principal criptomoeda, que no final de julho estava perto de zero, agora contabilizam lucro de 70% desde 1 de janeiro.

Ao meio-dia, horário de Washington, desta segunda-feira (23), cada unidade era cotada a US$ 50.318,87. O BTC conseguiu vencer os níveis de resistência de$ 49.500 e acabou consolidando. Muitos analistas acreditam que esse é um prenuncio de novas altas.

Conforme o TradingView  o indicador de convergência/divergência de média móvel semanal (MACD) para BTC/USD trocou de vermelho para verde.

O MACD é visto como um indicador confiável, usado para determinar a trajetória geral de um ativo. Na última vez que ele apresentou um cruzamento de alta, o BTC/USD mais que quintuplicou de preço. Na ocasião, saiu de US$ 11.500 em outubro de 2020 para máximas históricas de US$ 64.500 seis meses depois. Se a tendência se repetir, a criptomoeda líder pode ultrapassar os US$ 220.000 no final deste ano ou no início de 2022.

Com mercado em alta, Cardano atinge máxima histórica

O mercado de criptomoeda como um todo opera em alta no início desta semana. O preço do Ethereum venceu a resistência de US $ 3.300. Nas últimas 24 horas, o ETH subiu 3%, sendo vendido a US$ 3.336.

Já o Cardano (ADA) disparou 12,5% hoje, estabelecendo uma nova alta histórica de US$ 2,64 hoje, 10 centavos a mais que o recorde anterior de US$ 2,93 da última sexta-feira (20).

A altcoin ultrapassou a stablecoin Tether em 13 de agosto e se consolidou como a terceira maior criptomoeda, com valor de mercado de US$ 93 bilhões. Os ganhos da ADA foram de 116% no mês anterior.

Compartilhar.
continua depois da publicidade

Deixe seu comentário!